Skip navigation

Ontem acordei grávido.

Ou melhor, com vontades de uma pessoa grávida. Mais especificamente marshmallow, uma comida mais vista como “a única coisa servida num acampamento americano”. O que aconteceu foi simples: eu sonhei que abri um pacote de marshmallows, peguei um, comi, peguei outro, comi, e outro, comi, e assim por diante. Eu sonhei isso a noite inteira, e mais nada aconteceu.

O mais interessante foi que eu nunca comi marshmallow na minha vida, eu nunca vi um na minha frente, nunca sequer senti o cheiro de um. A coisa mais próxima disso foi comer aqueles marshmallows de bala de goma, que na verdade não são marshmallows.

O que me lembrou de um pacote de salgadinho de marca desconhecida, que comprei numa banca de jornal, que dizia na embalagem “Sabor: Imitação de bacon”. Que diabos seria o gosto de imitação de bacon? Seria um gosto ruim, que não aguentei comer inteiro e dei para meu amigo mais próximo.

Mas foi com marshmallow no pensamento que levantei-me da cama, peguei meu dinheiro e fui me aventurar no mundo afora. Foi no momento que sai de casa, que percebi que eu não sabia onde podia vender marshmallow perto da minha amável vizinhança. Mas a vontade era grande demais e eu sabia que nada podia me deter, então, equipado de um ipod velho de 4gb e fones novos, fui em frente, andando sem rumo, procurando marshmallows.

O problema do fone novo, era ser um daqueles que precisa de borrachinha pra encaixar no ouvido, e a borrachinha soltou, e eu não tinha nenhuma extra na hora, então tive que fazer o que qualquer procurador-de-marshmallow faria, e apertei bem fundo na orelha pro fone ficar la.

Ficar ficou, mas quando fui atender o celular, tive de mudar de orelha, porque só de encostar no ouvido do fone sem borracha já ardia demais. E a dor foi aumentando, até eu chegar num banheiro de bar e passar uma água. Percebi que minha orelha estava vermelha. Bem vermelha.

Decidi que não ia mais usar o fone, até comprar a borrachinha. No final das contas minha orelha ficou vermelha e ardendo o resto do dia, o que não foi nada legal. O mesmo acontece com uma espinha no meu braço, que mais parece um tumor, que eu fui coçar e até agora ta vermelho, inchado e doendo.

Minha procura por marshmallows me deixou num fran’s quase 20min de casa, que servem um marshmallow derretido. O gosto era bom, mas esperava que fosse algo melhor. Ainda assim saciei meus desejos de gordo grávido e segui meu rumo de volta para casa.

Hoje, eu tinha combinado com meu primo de ir na casa dele depois da minha escola, e ia testar minhas habilidades com ônibus mais uma vez, indo da escola a até o ponto final do lado da casa dele sem erros.

Errar é humano, e eu acabei pegando o sentido errado. Sério, eu não gosto de pegar ônibus, vide um post mais antigo chamado “ônibus não são legais”, mas dessa vez eu percebi meu erro, e tendo que gastar mais R$2,65 em moedas, subi no ônibus e cheguei na casa dele, são e salvo.

E foi mal chegar que me bateu a vontade de comer marshmallows, de novo, mas dessa vez eu estava decidido em comer aqueles troços macios, brancos e quadricuconicoarrendodados, e não aquela coisa derretida do Fran’s. Partimos então em uma batalha épica contra as mais tortuosas calçadas, enfrentamos subidas, corremos das descidas, e desviamos de motoristas furiosos e frenéticos, até chegarmos ao shopping.

La, paguei 7 reais em um pacote de marshmallow com embalagem em japonês, só pra descobrir que tinha o mesmo gosto daqueles marshmallows de goma que custam 3 reais do lado de casa. Japoneses malditos, compensando seus pênis com valores absurdos, e foi com 7 reais a menos e um pacote de marshmallow de goma que voltei pra casa, ainda com alguma esperança que este ia ficar bom se eu acedesse uma fogueira no meio de casa, cortasse uns gravetos e botasse os marshmallows para tostar.

O marshmallow derreteu no fogão, e ficou preso nos cantos e na ponta do garfo, e eu queimei a língua com a partezinha que sobreviveu ao fogo. E com isso aprendi a minha lição: marshmallow é a pior merda do mundo, e japoneses são traiçoeiros.

E como eu não postei por um booooooom tempo, venho pedir minhas humildes desculpas para vocês, meus 9 leitores que esperaram na frente de casa em protesto e greve de fome até eu postar de novo. Vão comer, seus pulhas, que o post ta aqui. E se você realmente não tem nada pra fazer, conte quantas vezes a palavra marshmallow foi escrita neste post.

Anúncios

3 Comments

  1. Ok, não vou contar quantos marshmallows tem no texto, mas aguardo a resposta. Acho que eu já comi marshmallow, mas não lembro, como sempre. E é tenso ter essas decepções gastronômicas, sorte que faz tempo que não tenho um desses desejos. Enfim, bom texto como sempre, fazia tempo que não postava mesmo, já ia cobrar uahehaheuhae. Continue postando roxamente e boa sorte com as borrachinhas de fone da vida! o/

  2. Usando o comando localizar, encontrei 19 vezes a palavra que não repetirei. E isso que tenho muito mais o que fazer, mas não resisti! Uma boa a sua gloriosa volta aos posts! Nunca comi esse troço, e acredito que pelo desenho e pelo que tão bem você contou, não irei comer é nunca tampouco. Mas o bom, o bom mesmo é sonhar, pois acorda ou se ativa o desejo, que é um troço incompreensível, mas faz andar por aí pela vida, ir com amigo, primo ou sozinho ou com uma música na orelha e encontrar coisas que às vezes nem sabíamos que procurássemos. Valeu!

    PS: sensacional a ideia de “acordar grávido”

  3. 19 vezes


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: